Benefícios da Água

A água ajuda a emagrecer, ajuda o nosso organismo a funcionar e faz maravilhas pela nossa pele. Dá energia e harmonia ao nosso corpo.

A água desempenha um papel essencial em quase todas as funções do nosso corpo, tais como a digestão, absorção e transporte de nutrientes e desintoxicação (a partir dos 25 anos, o corpo começa a perder água naturalmente).

Filtra as toxinas, assim como as dilui facilitando o processo de excreção do corpo, regula a nossa temperatura corporal, acelera o processo de emagrecimento, ajuda a combater o acneceluliteestrias, são inúmeras as vantagens corporais de bebermos água!

Beber pouca água durante o dia, ou mesmo nenhuma, resulta em uma pele seca, cabelos fracos, problemas intestinais (costipação), e em problemas mais graves como cálculos renais e hipertensão.

A água ajuda a emagrecer?

Regula o metabolismo das gorduras. Uma ingestão insuficiente de água faz com que os depósitos de gordura do nosso corpo aumentem, devido a um funcionamento incorreto do fígado, responsável por metabolizar as gorduras e convertê-las numa fonte de energia para o organismo.

Todos os alimentos ricos em água como as frutas, legumes e verduras, ajudam no funcionamento dos rins, que acabam com líquidos retidos no corpo com mais eficiência. Vale lembrar, também, que as hortaliças e frutas possuem fibras que ajudam na digestão e assim há um gasto calórico maior. A água pode ser a sua grande aliada, se tomada e ingerida corretamente.

Ela dá volume e saciedade: a ingestão de água ao longo do dia, e principalmente antes das refeições, mantém o estômago relativamente preenchido, diminuindo a fome.

Evita a retenção de líquidos: quando o corpo recebe pouca água interpreta-o como uma ameaça para a sua sobrevivência e compensa essa carência retendo líquidos. Para o evitar, basta fornecer-lhe toda a água de que precisa.

Como saber que quantidade tomar?

Varia de pessoa para pessoa em função da idade, do sexo, da atividade, do estado de saúde, da alimentação e até mesmo do clima. Por isso, a forma mais prática de sabermos se ingerimos a água de que necessitamos consiste em observar a cor e o cheiro da urina (que deve ser clara e inodora) e a frequência com que urinamos, que deve ser, no mínimo, quatro vezes por dia.

Se bebermos mais do que necessitamos, o organismo fará automaticamente o seu equilíbrio interno, eliminando a água em excesso pela urina. De nada adianta bebê-la em excesso.

A água pode engordar?

Não. A água simples não tem qualquer caloria por isso não engorda!

Engorda beber água durante as refeições?

Não, mas os líquidos durante a refeição atrasam o processo digestivo, assim como podem causar gases e flatulência.

Como os líquidos saem do estômago mais rapidamente que os alimentos, podem causar aquela sensação de “vazio”, o que leva muitas vezes a termos fome passado pouco tempo da refeição, um fator que pode leva-la a aumentar de peso. Procure beber água fora das refeições para que tal não aconteça, de preferência 30 minutos antes e depois das refeições.

Quando o intestino não funciona corretamente, o nosso organismo vai dando sinais de que algo está mal, a começar pela nossa pele. A combinação adequada de fibras e água auxilia na movimentação do bolo fecal, ativando também o funcionamento adequado dos rins e da bexiga, e consequentemente na eliminação de toxinas.

Além de auxiliar em dietas de emagrecimento e nos tratamentos de celulite, essa combinação diária é capaz de evitar que certas toxinas se transformem em erupções dermatológicas indesejáveis tais como acne, furúnculos, entre outros problemas.

Nove entre dez modelos ou mulheres famosas incluem vários copos de água e alimentos fibrosos na sua lista de cuidados estéticos. É um segredo de beleza que todos nós podemos ter acesso.

Beber água em jejum emagrece?

Não! A água por si só não pode destruir ou diminuir as células de gordura.
Beba pelo menos litro e meio de água natural, fora das refeições.

Água da torneira ou engarrafada?

Ambas! É aconselhável variar, como fazemos com os alimentos, pois a composição da engarrafada difere da que é distribuída pela rede pública, o que pode ser benéfico para a nossa saúde.